Património‎ > ‎

Sé de Lamego


 Localidades > Lamego > Sé de Lamego
Património

No centro de Lamego ergue-se a Sé Catedral. Datada do século XII, este imponente monumento sagrado em 1175 a S. Sebastião e a Santa Maria, só vê a sua conclusão acontecer provavelmente em 1191. No entanto, com o passar dos anos e as respetivas obras de remodelação que viria a sofrer, alteraram significativamente o seu original perfil românico.

É um monumento religioso de grande interesse, a entrada tem um amplo adro lajeado - datado do século XVIII, com a fachada marcada pela grandiosa torre. Das várias dependências que se prolongam a Norte da fachada principal, destaca-se o antigo Paço dos Bispos - uma construção do Barroco setecentista que á várias décadas vem sendo ocupado pelo Museu de Lamego. Aqui guardam-se algumas das melhores obras de arte da Sé e de outras casas religiosas da região.

O deslumbrante interior da catedral é separado em três naves divididas em três tramos e cobertas por abóbadas de aresta, assentando em arcos de volta perfeita e pilares generosos. Os tetos, majestosamente pintados no século XVIII pelo pintor-arquiteto italiano Nicolau Nasoni, revelam perspetivas do barroco triunfante e com temas bíblicos. Nas naves laterais há vários altares barrocos.

Na capela-mor, pode-se observar um retábulo combinando mármores e talha dourada, assim como um neoclássico cadeiral de alto espaldar. As portas, janelas, arcos e os seus órgãos são decorados por pomposas estruturas de talha dourada. No altar principal do Santíssimo Sacramento também se pode apreciar um trabalhoso frontal de prata – obra-prima de um ourives portuense do século XVIII. No coro alto, pode-se observar um esplendoroso cadeiral com pinturas do século XVIII.

O claustro cardinalício é uma construção do século XVI, estando este dividido em dois pisos e na planta inferior da crasta estão duas imponentes capelas, onde numa delas se faz notar a sepultura de D. Manuel de Noronha, um dos mais importantes bispos da diocese de Lamego.


 

Interior da Sé de Lamego